ELEIÇÕES OAB – RIO DE JANEIRO: EMPODERAMENTO FEMININO

Sabrina Campos

Nunca houve antes na história uma Presidente mulher da OAB na Seccional do Rio de Janeiro até hoje. Somente homens presidiram a entidade de classe desde 1931, antes da fusão dos Estados do Rio de Janeiro e Guanabara, quando a Seccional do Estado do Rio de Janeiro era sediada em Niterói. Assim também aconteceu quando, sediada na cidade do Rio de Janeiro, houve, então, primeiro a Seccional do Distrito Federal, e, após, em 1960, com a fundação de Brasília, a OAB/Distrito Federal passou a ser denominada OAB/Guanabara. Gestões comandadas apenas por homens na Presidência, que figuram na galeria dos ex-presidentes, seguiram-se por 1975, com a fusão dos Estados da Guanabara e Rio de Janeiro, até a Seccional ser entitulada OAB/RJ, e, perduraram até os dias atuais.

As mulheres que se aproximaram dos cargos de liderança restaram limitadas ao máximo em função na Vice-Presidência. E, embora nem sempre à sombra ou à margem da figura masculina no maior cargo de poder da instituição, de qualquer modo, nunca antes alcançaram esta posição ou autoridade. Importa lembrar que, a exemplo da Dr.ª Carmen Fontenelle, já houve chapa com mulher candidata à Presidência da OAB/RJ antes. Entretanto, a Chapa 2, das eleições da OAB/RJ neste ano de 2021, traz uma dupla feminina unida nos maiores cargos da entidade para representar genuinamente o alto número que abrange as advogadas no estado, que já somam mais da metade dos profissionais da advocacia.

A Dr.ª Sylvia Drummond, candidata à Presidência da OAB/RJ, junto à Dr.ª Carolina Mynssen, candidata à Vice-Presidência da entidade de classe, são a liderança da Chapa 2, e, pretendem mudar a história da Seccional sob a perspectiva das profissionais multitarefas e de tripla jornada, pois desejam o respeito aos profissionais advogados, bem como o amparo daqueles que dividem suas funções como mães e pais de famílias. Mais do que juristas, cidadãos. Mais do que amantes do Direito, sociedade. Advogados e advogadas, mas primeiro: indivíduos dotados de necessidades.

A Dr.ª Sylvia Drummond é personalidade de alto renome no campo jurídico. Conhecida pela grande maioria dos causídicos fluminenses, inclusive por sua atuação também como professora, além de influente entre os representantes do Poder Público, a advogada já foi Vice-Presidente da Subseção da OAB/RJ – Barra da Tijuca: a segunda maior do estado.

Além de sócia do escritório que também leva o seu nome, Drummond, Rhaddour, Bravin & Greth Advogados, é professora em instituições de alta relevância como a Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ), a Fundação Escola Superior do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (FEMPERJ), a Fundação Escola Superior do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (FESMPDFT); a Associação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (AMPERJ), a Fundação Escola da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (FESUDEPERJ) e a Escola Superior de Advocacia do Rio de Janeiro (ESA-RJ). Ainda atua como professora na Escola Drummond de Advocacia, onde é também Coordenadora Pedagógica.

Ativista dos Direitos das Mulheres, Sylvia Drummond é Coordenadora dos cursos de violência contra a mulher da Escola Superior de Advocacia do Rio de Janeiro (ESA-RJ) e Membro do Instituto Brasileiro de Direito das Famílias (IBDFam). Seu currículo impressionante agrega também ser Membro da Associação Brasileira de Processo Civil (ABDPpro) e do ilustre Instituto dos Advogados do Brasil (IAB), de importância excepcional à classe.

A Dr.ª Sylvia Drummond, transparente em suas propostas à próxima gestão, durante a campanha teve a oportunidade de esclarecer aos críticos que a acusam de fazer parte da mesma gestão do Dr. Luciano Bandeira, atual Presidente da OAB/RJ, e que concorre à reeleição pela Chapa 1. Quando o Dr. Luciano Bandeira era Presidente da Subseção da Barra da Tijuca, a Dr.ª Sylvia Drummond atuou como Vice-Presidente da mesma. Em entrevista recente à Antônia Fontenelle, no programa “Na Lata”, Sylvia pode expor suas diferenças de ideias do concorrente e os motivos que a levaram a disputar estas eleições, tornando-se adversária de chapa de Luciano Bandeira, ao invés de se manter ao seu lado. Assista em: https://youtu.be/VlSy-9EG-C0

Uma destas razões é a pretensão de que a OAB/RJ seja de fato uma entidade sem partido político que a domine, sem interesses escusos que a utilizem como meio para fins diversos das necessidades e interesses dos advogados e da advocacia. Como adiciona a Dr. Carolina Mynssen, a OAB, como instituição, é política, em especial pelas atribuições que a própria Constituição Federal, que a menciona tantas vezes, também lhe confere em defesa da sociedade civil. Entretanto, jamais deve ser partidária, posto que inconsonante com a democracia e a advocacia em si, fazendo da entidade desigual e arbitrária.

A Dr.ª Carolina Mynssen, especialista em Direito das Famílias e Sucessões é Presidente da Comissão Nacional de Direito Médico da Associação Brasileira de Advogados e Membro da World Association of Medical Law. É Secretária-geral do IAB (Instituto dos Advogados Brasileiros) da comissão permanente de Direito Médico, Saúde e Bioética, membro da Comissão da Mulher da ABA-RJ, uma advogada imersa na Lei Maria da Penha.

Sua experiência, portanto, como sua companheira de chapa, acrescenta ao cargo que concorre, a busca da valorização aos advogados enquanto indivíduos, pessoas, e, não números, que merecem zelo e cuidado para que consigam exercer com dedicação a advocacia em defesa do cidadão, da sociedade, do bem maior da justiça.

Além disto, é sócia fundadora do escritório Martins Mynssen Advocacia e Consultoria, especialista em defesa médica e responsabilidade civil com experiência na consultoria para clínicas, hospitais e consultórios, na defesa administrativa de profissionais de saúde frente aos Conselhos, atenta aos acontecimentos recentes durante esta pandemia de COVID-19, como os advogados foram tratados pela gestão atual e como poderiam ter sido.

Em comum com as chapas adversárias de oposição à gestão que termina este triênio, a Chapa 2 traz por propostas redução do valor da anuidade, pretensões de mudanças quanto às eleições indiretas para o Conselho Federal, melhorias à OAB-Prev e à CAARJ (Caixa de Assistência dos Advogados). Uma das grandes diferenças, contudo, está na preocupação com a maior entidade da civilização: a família. Preveem capacitação de funcionários para recebimento de denúncia de violência doméstica, com a criação de espaços de convivência infantil (tais como brinquedotecas e creches), também adequados para apoio aos filhos das advogadas e advogados que necessitem utilizar dos espaços da entidade para trabalhar.

Dr.ª Sylvia Drummond e Dr.ª Carolina Mynssen ambicionam uma Ordem dos Advogados que verdadeiramente abrace os causídicos, seja refúgio para os trabalhadores da classe, real fortaleza aos que lutam pelos direitos e dão voz para defender a justiça.

Neste 16 de novembro, conheça as chapas que concorrem às eleições nas Seccionais e Subseções de seu estado e município. Sendo cidadão ou cidadã, incentive advogados a exercerem sua vontade pelo voto. Sendo advogado ou advogada, faça você a sua voz ser ouvida! A Dr.ª Sylvia Drummond e a Dr.ª Carolina Mynssen foram convidadas para entrevista ao vivo no canal da Rose Barros no YouTube, mas não houve disponibilidade em sua agenda de campanha. https://www.youtube.com/c/ROSEBARROS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.